ENCICLOPÆDIA

BIOGRÁFICA DE

ARQUITETAS e ARQUITETOS

DIGITAL 

"EBAD" - DESDE 2015 - by Silvio Durante
Vilmos (William) Fillinger
♦  24 de setembro de 1888, Krasso Gombas, Hungria.
† 1968, Brasil

PERFIL BIOGRÁFICO:

 

Vilmos (William) Fillinger, nasceu em 24 de setembro de 1888 na cidade de Krasso Gombas, na Hungria. Era de uma família de ascendência judaico-romena.

 

Foi morar com seus tios em Viena, capitala da Áustria, onde estudou na conceituada Academia de Belas-Artes de Viena, formando-se em arquitetura.

 

Emigrou da Hungria em 1912 para Santos, litoral do Brasil, onde trabalhou como engenheiro civil em diversas obras. Logo depois de chegar no Brasil, ele ajudou sua prima de primeiro grau, Izabella Friedmann, nascida 28 de outubro, 1895, em Kevermes, também na Hungria, para vir ao Brasil e se tornar sua noiva.


Izabella, uma jovem mulher de 17 anos de idade, chegou no ano seguinte e em 10 março de 1913 eles se casaram. Depois disso, eles ajudaram outros parentes, tanto de William quanto de Izabella, a migrarem para o Brasil, que no começo do século XX recebia grandes levas migratórias de países europeus.

 

Sabe-se muito pouco de sua vida deste período. Mas ganhará notoriedade graças a outro imigrante, o italiano Giuseppe Martinelli, que idealizou o primeiro arranha-céus do Brasil.

 

Martinelli trabalhara como pedreiro na juventude e formou-se em engenharia civil. Contratou Fillinger para projetar o "Edifício Martinelli", sua obra mais importante e mais conhecida.

 

Planejado para alcançar a barreira dos 100 metros de altura, em uma estrutura não apenas alta como significativamente larga, o Edifício Martinelli marcaria uma transição da construção civil de São Paulo para a era dos arranha-céus.

 

Em 1924 deu início à construção do prédio projetado para ter 12 andares. Todo o cimento da construção era importado da Suécia e da Noruega, pela própria casa importadora de Martinelli. Nas obras trabalhavam mais de 600 operários. Cerca de 90 artesãos, italianos e espanhóis, cuidavam do esmerado acabamento. Diversos imprevistos prolongaram as obras: as fundações abalaram um prédio vizinho – problema resolvido com a compra do prédio por Martinelli; os cálculos estruturais complexos levaram à importação de uma máquina de calcular Mercedes da Alemanha.

 

Enquanto isso, Martinelli não parava de acrescentar andares ao edifício, estimulado pela própria população que lhe pedia uma altura cada vez maior – de 12 passou para catorze, depois dezoito e em 1928 chegou a vinte. 

 

Quando o prédio atingiu vinte e quatro andares, foi embargado, por não ter licença e desrespeitar as leis municipais – havia um grande debate na época sobre a conveniência ou não de se construir prédios altos na cidade. A questão foi parar nos tribunais e assumiu contornos políticos, sendo aproveitada pela oposição para fustigar Martinelli e a prefeitura municipal. A questão foi resolvida por uma comissão técnica que garantiu que o prédio era seguro e limitando a altura do prédio a 25 andares. O objetivo de Martinelli, contudo, era chegar aos 30 andares, e o fez construindo sua nova residência com cinco andares no topo do prédio – tal como Gustave Eiffel fizera no topo de sua torre. Devido às pressões de Martinelli, Fillinger demitiu-se antes do termino da obra, que foi tocada até seu final pelo próprio Giuseppe Martinelli.
 

O Martinelli impressionava não só pelas dimensões como pela rica ornamentação e luxuoso acabamento: portas de pinho de Riga, escadas de mármore de Carrara, vidros, espelhos e papéis de parede belgas, louça sanitária inglesa, elevadores suíços – tudo o que havia de melhor na época; paredes das escadas revestidas de marmorite, pintura a óleo nas salas a partir do 20º andar, 40 quilômetros de molduras de gesso em arabescos.

 

Fillinger morreu em 1968 e seu filho Victor Carlos Fillinger seguiu a paixão do pai pela construção e tornou-se engenheiro.

Vilmos (William) Fillinger

OBRAS SELECIONADAS:

 

> (1) Edifício Martinelli, 1929, São Paulo, Brasil

> (2) Edifício Martinelli, 1929, São Paulo, Brasil

> (3) Croqui do Edifício Martinelli, 1929, São Paulo, Brasil

 

01.jpg
01.jpg

> (1) Edifício Martinelli, 1929, São Paulo, Brasil

press to zoom
02.jpeg
02.jpeg

> (2) Edifício Martinelli, 1929, São Paulo, Brasil

press to zoom
03.jpg
03.jpg

> (3) Croqui do Edifício Martinelli, 1929, São Paulo, Brasil

press to zoom

Referencias:

 

- Site Oficial do Edifício Martinelli: www.prediomartinelli.com.br

 

- GLANCEY, Jonathan. Guia Ilustrado de Arquitetura. Trad. Laura Alves e Aurélio Rebello. Rio de Janeiro: Zahar, 2012.

 

- PREFEITURA DE SÃO PAULO. A história de Martinelli, o imigrante que sonhou subir aos céus. Disponível em: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/habitacao/noticias/?p=4230. Acesso em 10 de setembro de 2015.

 

- JEWISH GENEALOGY. N 4, Vol3. Disponivel em http://www.jewishgen.org/romsig/Newsletters/4-3%20Spring%201996.pdf. Acesso em setembro de 2015

Como citar este documento:

Enciclopædia Biográfica de Arquitetos Digital

Autor(es) do verbete:: DURANTE, Silvio
Título: Vimos (William) Fillinger

Documento nº: F10
Disponível na Internet via: 
Última atualização: 10/09/2015

Início

Índice A-Z

Enciclopédia Biográfica de Arquitetas e Arquitetos Digital